quinta-feira, 1 de abril de 2010

Luciana Campos e eu


Luciana Campos -jornalista, cronista e poeta, intérpete sensível à Poesia que apresenta...




Luciana, quando declamou "Eu que amo o amor", no Palácio das Artes, Terças Poéticas.





Luciana Campos,em 2008-Lagoa do Nado, à noite, logo depois da cerimônia de premiação do InrasCi-perto da belíssima "Flor de Jade".À tarde, no Restaurante D.prea, em reunião do InBrascI, leu haikais dos aldravistas Gabriel Bicalho, J.S.Ferreira , J.B.Donadon e Andreia Donadon.


A jornalista Luciana Campos tem estado em vários monentos muito importantes de minha vida, aém dos cotidianos, pois é irmã de minha nora, Karina Campos.Esta, ao realizar o evento Poesia é Ouro, no Centro Cultural Belo Horizonte, convidou a mana para ser a mestra de cerimônia e ela encantou a todos com os olhos azuis, o lindo sorriso a voz macia e o savoir farie de quem tem formação em oratória.Aliás, são três irmãs , três exemplares de belas mulheres, diferentes um da outra.

Já em meu recital "Mas Afinal Onde Dormem os bejaflores?, nas Terças Poéticas, ela declamou um de meus poemas, e muitas pessoas ficaram com os olhos molhados , entre eles, a Diretora do Museu nacional da Poesia-MUNAP, Regina Mello, que aliás, vem de publicar seu primeiro livro, Cinquenta (*)-em homenagem a sua nova década de existir-e que primeiramente foi apresentado como "livro vivo",no Restaurante Cozinha de Minas.

Eis o poema, que é bem antigo :


Eu que amo o amor...


Clevane Pessoa de Araújo Lopes

Pelo Dia dos Namorados(12/06)

Eu que amo o amor,conheci-o antes
de que me oferecesses o teu,modelo
de paixão buliçosa e possessiva...
Eu que amo o amor,sabia
que não se ama apenas com palavras galantes,
-às vezes,sou até esquiva
quando me entregam de presente
tantas jóias caras num pequeno escrínio...
Eu,que amo o amor,entrego -te minha alegria
de te amar além do possível,
além das aparências...
E de alguma forma,fui contaminada
pelo vírus oportunista
do teu calor de chamas acariciantes.
Contigo aprendi que no amor
não existem coisas feias,
tudo é luminoso a brilhar
qual a sol em teias de aranha,
frágeis na aparência
e fortes na trama que nos apanha.
Agora,sei que não há possível cura
para o desejo de tua ternura.
Que vou morrer de amor,no amor
-quando a morte vier buscar-me,
esquiva e imprevista.
E partirei envolta na mortalha
dourada e olorosa desse amor
que abrasa e que consome.
Partirei,nua por baixo,despida
da falsa virtude,
depois que me ensinaste a entrega plena.
E volitarei a murmurar teu nome,
tu,professor de plenitude,
que me ensinaste a amar sem peias
a cantar segura e serena...
Publicado por clevane pessoa de araújo em 27/05/2006 às 12h32(**)

É apenas uma declaração deamorisisdade,mas a interpetação, conferiu-lhe uma especificação que o elevou às almas dos presentes.

><*<
Depois, quando fiz, na Galeria da Árvore do Museu Nacional da Poesia, ela apresentou minha mostra Graal feminino Plural . Karina e ela também interpetaram alguns de meus poemas .Minha norinha linda, falou o poema sobre a Burka.Ela é autora já premiada, apesar de jovem, tanto em versos, quanto em prosa, sendo que estará na antologia a ser lançada em Montevidéu, agora em abril, nos II Juegos Florales do aBrace...

Em seu blog (***), há um comentário sobre o primeiro evento cito, em troca de e-mails entre Regina Mello e ela:
Apreciação de Regina Mello, escritora.
20 de outubro de 2008
Querida Luciana,
Muito obrigada pelo presente! (Referindo-se ao poema de Clevane Pessoa, encaminhado por e-mail, por mim)

"Parabéns pela escolha e interpretação deste belo poema.
Você tocou meu coração. Eu fiquei paralizada tomada de emoção. Realmente o mais belo poema que já ouvi, sua interpretação foi perfeita, sua alma de mãos dadas com o seu amor, soltavam a emoção do poema no ar. Só mesmo uma pessoa que ama o amor pode fazer isto. Obrigada! Viva o amor!
Obrigada por me enviar, li e emocionada lhe agradeço e parabenizo!
Vou guardar esta noite na minha caixinha de melhores lembranças.
Que Deus te abençoe!
Um grande abraço e beijos,
Regina"


Haikai da escritora



"O vento corre
E a água escorre em fio
Tecendo a luz "

Reginamello2008

Fonte:http://jornalistalucianacd.blog.terra.com.br/


-------------
(*) Cinquenta é edição da anomelivros, do edior Wilmar Silva, agora em parceria com o MUNAP.

(**) Publicado na Internet, inicialmente em http://clevanedeasas.blogspot.com/

(***)http://jornalistalucianacd.blog.terra.com.br/

-----------------------

E agora, um texto da própria e talentosa jornalista:
Viagem (relato de insight que vivi)
18 de junho de 2008
Ontem fiz uma viagem. Fui a um dos lugares mais importantes e espetaculares que já visitei. Viajei para muito longe, mas já estou de volta mais segura e amante da vida como nunca. Quero contar para todas as pessoas que estimo, pois foi um fato tão mágico que só os seres de coração aberto devem e merecem sabê-lo. De olhos fechados, deparei-me com uma moça alegre, divertida, enérgica. Ela levou-me a um lugar ainda estranho, de infinita leveza… Diversas indagações foram feitas por mim, afinal, não seria eu a resistir tamanha curiosidade. Queria mesmo saber mais sobre essa menina feita de vento, espírito, luz e amor. Durante as perguntas, descobri que aquele ser misterioso e tão sonhador se parecia comigo, o que fez-me continuar a seguí-la pelo caminho de flores. Seus olhos tinham um ar de meiguice e tristeza sem fim. "De onde vinha tanta tristeza?", perguntei-me. Ela me abriu seu coração, sua mente, amores e dores. Este diálogo quase sem palavras ou sons, sem gestos ou cobranças, jamais havia ocorrido entre mim e qualquer outra pessoa. Dentro deste ser havia tanta força que apaixonei-me por sua maneira de lidar com a vida, por seu olhar e pela caridade ao próximo que habitava seus gestos. Seu âmago era repleto de carinho, e ao aproximar-me um pouco mais, ao fitar seus olhos como quem reconhece a si mesma, descobri que estava lidando com meu próprio íntimo. Um sentimento de alívio pairou sobre mim. Percebi, com certeza, que não há nada melhor e mais estimulante do que se conhecer de verdade. O autoconhecimento livra-nos das repressões sem fundamento, das leis e manipulações exageradas. Foi maravilhoso estar diante de mim mesma, de alma aberta, sabendo assim, que mesmo com todas as fraquezas e ignorâncias existentes, há alguém muito especial pra mim e para muitas outras pessoas. Eu mesma! Faça você também uma viagem a um lugar misterioso, lindo e fantástico, aonde você descobrirá um ser maravilhoso, que não deve ser reprimido quanto aos seus anseios mais profundos e benfazejos. Experimente e verás que não há nada igual… Luciana Araújo Campos Diniz Escrito em 2000. Revisado em 2008

Um comentário:

Graça Campos http://gracaepoesias.blogspot.com/ disse...

À menina, mulher, talentosa e competente poetisa e jornalista Luciana:


a força do amor é imbativel, e a experiência dos afetos erguer-se-á em tochas poderosas para atingir o cume do Olimpus que existe dentro da criatura.
Assim como também será clarão a decifrar pouco a pouco as necessárias trilhas e

cuidadosamente evidenciar a leveza do compasso do tempo...

Você, filha, é "AMOR"! E resposta para o "essencial" será amor...

Felicidade!!!
Beijos
Amo você muito e confio no seu maior talento que é amar...
Sua mãe
Graça