domingo, 18 de maio de 2008

Poema Nupcial para Roney e Luciana




Enlace


Um casamento vai além das assinaturas em papel oficial.
O enlace tem a ver com as trocadas ternuras,
com a pele na pele, o cotidiano de entregas e paciências,
os risos , as somas, as vivências...
Dizem os ciganos que se respirarmos perto de um cavalo,
ele será o senhor dos nossos segredos.
Imaginem quem respirar juntos toda uma noite,
ou ao quando no amor, os hálitos se misturarem.
Um par conjugal
é essa harmonia entre dois seres.
O TAO, o Yin e o Yang,
almas em simbiose,olhos nos olhos
a compreender os secretos códigos,
o equilíbrio que faz o coração bater em uníssono
e aquece o sangue.

O amor é tão estranho que dele
pode nascer o ressentimento ou a ternura.
É preciso cultivar essa flor perene, esse parreiral de sonhos,
essa grama de verde pleno e terno.
É necessário tecerem os ramalhetes,colherem os frutos,
fazerem o vinho doce e saboroso.

O fogo da paixão, qual chama votiva,
não deve se apagar.
Cabe aos noivos renovarem os laços todos os dias
e deixá-la perenemente acesa.

Clevane Pessoa de Araújo Lopes, com os melhores entre os melhores votos de felicidade plena, a Luciana e Roney.

Dados:Luciana e Roney
Pais (da noiva):Ari Ferreira Campos e Maria das Graças Araújo Campos
Pais (do noivo):Renê Soares Diniz (in memoriam)
Rosalina Bicalho Andrade Diniz

data:16/05/2008, em belo Horizonte, MG

Daminha de Honra:Luiza.

Um comentário:

ARTE E VIDA disse...

Clevane, enlace, amor, paixão...
toda essa inspiração e bagagem de alma no poema emocionante, maravilhoso!
Parabéns a voce, amiga,por tamanha sensibilidade e que os anjos a protejam sempre...
Beijos
Graça